Com capoeira e candidatas a Miss Beleza Negra, Câmara comemora Dia da Consciência Negra com homenagens e pedidos pelo fim da discriminação

por Robson Luis Monteiro publicado 21/11/2017 15h44, última modificação 21/11/2017 15h44
Evento festivo lembrou as ações e trabalhos da comunidade negra de Pindamonhangaba; Oradores enfatizaram a luta pela igualdade e pelo fim do preconceito
Com capoeira e candidatas a Miss Beleza Negra, Câmara comemora Dia da Consciência Negra com homenagens e pedidos pelo fim da discriminação

Câmara de Pindamonhangaba concede homenagens aos cidadãos afrodescendentes de Pindamonhangaba no Dia da Consciência Negra

Em noite festiva e com a participação efetiva de membros da comunidade negra de Pindamonhangaba e da RM Vale, a Câmara de Pindamonhangaba abriu seu plenário nesta segunda-feira à noite para a comemoração do “Dia da Consciência Negra”. A sessão solene foi realizada por meio da Lei Municipal nº 4.991, de 19 de novembro de 2009 e do Requerimento nº 2.842/2017, de autoria do vereador Janio Ardito Lerario (PSDB). Presidida pelo próprio vereador Janio Lerario, o ato solene contou também com a participação dos vereadores Antonio Alves da Silva – Toninho da Farmácia (PSDB), Jorge Pereira Alves – Jorge da Farmácia (PR), Gislene Cardoso – Gi (DEM), Rafael Goffi Moreira (PSDB) e Ronaldo Pinto de Andrade – Ronaldo Pipas (PR). Entre as autoridades que compuseram a Mesa Diretora dos trabalhos estavam presentes o Coordenador de Gabinete da Prefeitura, Luís Cláudio de Oliveira (que representou o Prefeito Dr. Isael Domingues), o Presidente do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra, Antônio Rogério Lemes de Souza – Pai Rogério, a Oradora Oficial da sessão, Lúcia da Silva Figueiredo, o Coronel da Polícia Militar de São Paulo, Osmar Lima Leal, o homenageado do Conselho, professor Eric Patrício Pereira Queiroz e a esposa do presidente da sessão, Eleonora Bassi Lerario.

Ao abrir a sessão, o presidente da Mesa, vereador Janio Lerario destacou “a união social racial celebrativa a esta importante data, oportunidade em que o Poder Legislativo reconhece os ilustres cidadãos afrodescendentes pindamonhangabenses que empunham bandeiras de lutas pelo respeito, reconhecimento, liberdade de expressão, igualdade de condições para a construção de uma sociedade justa, moderna e homogênea”.

  

Oradora oficial: “a nossa luta está além da cor da pele”

Em seguida, Janio Lerario concedeu a palavra à oradora oficial, Lúcia da Silva Figueiredo. Em seu pronunciamento, Lúcia Figueiredo enfatizou que “falar de algo nos motiva é muito importante. A causa da mulher negra da comunidade é a causa da ser humano. A nossa consciência está além da cor da pele”

A oradora foi enfática: “Como negros e negras enfrentamos muitas barreiras e não podemos nos acomodar. É preciso ultrapassá-las”. Lúcia Figueiredo salientou que “hoje estar comemorando mais de 300 anos da morte de Zumbi dos Palmares é uma motivação da luta pela nossa raça. Não podemos parar. Nós, mulheres, estamos tendo uma visão de empoderamento com nossos cabelos afros, nossos turbantes mas precisamos ir além de tudo isso. Quem sente no dia a dia a barreira de ser negro sabe que nossa batalha é muito grande”.

A convidada de honra da noite finalizou dizendo que “essa é uma data que não é simplesmente para comemorarmos. É para lembramos e ganharmos folego para continuarmos no nosso caminho. Todos os dias temos que provar que somos capazes, que o negro tem condições de fazer alguma coisa positiva. O Brasil é um país de mistura e não podemos ficar estáticos e ver as coisas acontecerem. Igualdade não é ficarmos na fila de espera, é lutarmos de igual para igual em todos os campos. Precisamos quebrar o preconceito. Ter essa visão de que o negro quer vencer e não quer ser descriminado. Essa é a nossa luta e ela está além da cor da pele!”

  

Em seguida a palavra foi concedida ao Presidente do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra, Antônio Rogério Lemes de Souza – Pai Rogério. Ele fez duras críticas ao Poder Executivo e salientou que “hoje recebi uma ligação do Executivo nos informando que não irão fornecer nada além do espaço público para nossas ações e comemorações”. Pai Rogério indagou: “temos a Lei da Semana da Consciência Negra, a Lei de criação do Conselho mas alguém se preocupa conosco?”. O dirigente da Comunidade Negra disse que nesta data importante é imprescindível relatar que “o negro continua sendo maioria não só em número populacional mas também como vítima de preconceito”. Segundo dados do IBGE, 53% da população brasileira é negra e esse número poderá chegar a 70%. “Por isso cabe a nós do Conselho e aos senhores vereadores a atenção, a ação e a intervenção em prol da nossa comunidade afrodescendente”, cobrou Pai Rogério. Ao final de seu discurso oficial, ele disse que “existe sim preconceito e intolerância com a nossa comunidade, com nossa história e como nosso passado. Por isso encerramos a nossa noite festiva cheio de esperança em dias melhores”.

Na sequência dos trabalhos aconteceram as apresentações do Grupo de Capoeira “Abada Capoeira” com o professor Gemada; da Companhia de Ballet da Professora Solange e o desfile das candidatas a Miss Beleza Negra de Pindamonhangaba que irão disputar o título de mais “Bela Negra” da cidade no próximo dia 26 na Associação Atlética Ferroviária.

  

Homenagens

Na noite festiva, o ponto alto do evento foram as homenagens prestadas aos representantes da comunidade negra de Pindamonhangaba. Receberam Diplomas de Honra ao Mérito da Câmara de Vereadores: Daniel Coutinho dos Santos, Solange Cristina Virgínio Barbosa, Fátima Lucinda Aparecida Soares, Claudinei César dos Reis, Valdelis Helena do Nascimento e Marta Maria Bonifácio Alves dos Santos. A Câmara de Pindamonhangaba e o Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra também prestaram homenagem ao professor Eric Patrício Pereira Queiroz com a entrega de um Cartão de Prata, conforme determina a Lei Municipal nº 4.991/2009.

  

Ao final da solenidade, o vereador Janio Ardito Lerario agradeceu a presença de todos e reafirmou sua disposição de continuar lutando pelo fim das desigualdades em nossa sociedade e pelo reconhecimento dos membros da nossa comunidade negra de Pindamonhangaba.